Acesse rapidamente mais informações importantes:

Programa preliminar  Minicursos  Inscrições  Submissão de resumos   Dicas RJ

I  Workshop de Desenvolvimento de Carreira:

Universidade Federal do Rio de Janeiro, 17 a 21 de Setembro de 2013

 

Em conjunto com as atividades da X Semana Polar Internacional, a APECS-Brasil irá organizar um encontro presencial no Rio de Janeiro, UFRJ. O I Workshop de Desenvolvimento de Carreira pretende incentivar o desenvolvimento de qualidades que muitas vezes passam despercebidas por pesquisadores em início de carreira e instituições às quais estão vinculados. Para isto estamos organizando minicursos e mesas redondas com mentores do Brasil e do exterior, e participação ativa de pesquisadores em início de carreira que fazem parte da Diretoria, Conselho e membros participativos da APECS-Brasil. Os minicursos previstos para Setembro de 2013 estão descritos abaixo, terão duração de aproximadamente 3h cada. Todos os participantes receberão certificado de participação. 

 

  • Como fazer sua mãe entender sua pesquisa, Daniele Botaro e João Paulo Machado Torres

Seu orientador, seu aluno, seu colega de laboratório, seu parceiro de pesquisa, seu par. Ok, eles sabem do que você está falando, mas e o resto do mundo? Quando você se senta no bar com os amigos e eles falam sobre seus trabalhos e perguntam a você o que você faz, qual a sua resposta? E quando você responde, como eles reagem? Em tempos de financiamentos cada vez mais curtos e pressão crescente sobre o correto uso do dinheiro público em pesquisas científicas é preciso que nós tenhamos a preocupação de melhorar a comunicação científica com a sociedade que nos financia. Quantos de nós já nos vimos em situações um tanto constrangedoras quando alguém que não trabalha com pesquisa científica faz a clássica pergunta: "Ok, mas pra que isso serve?
Nessa conferência vamos falar de estratégias e ferramentas que podem ser utilizadas por qualquer pesquisador para fazer a divulgação do trabalho mais importante do mundo: o dele!

 

  • Construindo um projeto que integra professor, aluno e cientista -  Amazônia vai ao Ártico e a Antártica: um olhar do local para o global, Nubia Caramello, Elaine Alves e Juliana Silva Sousa

As Semanas Polares Internacionais ajudam a despertar nos professores, alunos e cientistas papéis fundamentais na integração entre os mesmos e na divulgação da Ciência. Algumas etapas como motivação e sensibilização antecedem a construção do projeto escolar, que deve ser construído coletivamente. Como exemplo prático iremos utilizar a experiência junto ao projeto Amazônia vai ao Ártico e à Antártica para demonstrar os passos da elaboração do projeto escolar, uso de instrumentos metodológicos de Ensino,  os relatórios das principais ações desencadeadas pelo projeto, os desafios e as perspectivas para o desenvolvimento do diálogo polar-científico no espaço escolar, com visão de uma professora e uma cientista polar.

 

  • Divulgar a pesquisa: comunidade e mídia como pontos de apoio; Roberta da Cruz Piuco, Jaqueline Brummelhaus e Julia Finger

Qual a importância de divulgar a sua pesquisa para as pessoas que não fazem parte do mundo científico?  Como chamar a atenção delas e permitir a compreensão do que estamos pesquisando? O objetivo do minicurso é fornecer e construir algumas ideias de como levar o conhecimento científico para a realidade e o dia a dia das pessoas.

 

  • Popular Scientific writing; Ines Tavernier, APECS-Belgium 

Communicating your research to a wide audience: finding another word for jargon where possible, giving definitions of certain concepts, providing of short general overview of your field and basically translating your scientific paper from English into your mother tongue? Wrong! Popular scientific writing is a different discipline compared to academic writing. Find out how to do it properly in this practical course and inspire more people with your research.

 

  • Como falar sobre as regiões polares para alunos de diferentes níveis de ensino; Miriam Hebling de Almeida

Comunicar os resultados da ciência e mostrar sua importância ao público são parte da função de um cientista. Entretanto, nem sempre isso é uma tarefa simples: a falta de prática de comunicação com o público e a inexperiência do trabalho em sala de aula acabam afastando o cientista destas atividades e de outras importantes formas de educação não formal. Por outro lado, educadores de diversas partes do Brasil e do mundo querem levar aos seus alunos mais conhecimento sobre as mudanças que estão ocorrendo nas regiões polares e como essas mudanças podem afetar a sua região, numa expectativa de conscientização e de mudança de hábitos. Nesse minicurso apresentaremos os desafios enfrentados por aqueles que querem comunicar a ciência polar, bem como algumas propostas para educadores e cientistas interessados em levar a ciência polar aos ambientes de educação.

 

  • Educação Ambiental e Governança do Continente Antártico; Roseane Palavizini

A Educação Ambiental como oportunidade para formação da consciência humana sobre a governança do continente Antártico como um bem comum da humanidade: o desafio da governança compartilhada entre países e os conflitos de interesses econômicos, políticos e ambientais.

 

  • Transdisciplinaridade e Pesquisa Ambiental; Roseane Palavizini

A transdisciplinaridade como oportunidade para o desenvolvimento da pesquisa  integrada, implicada e formadora de uma consciência ambiental responsável.

 

  • As regiões polares no cenário jurídico-político contemporâneo; Alexandre Pereira da Silva

Em linhas gerais divido em três partes: introdução as regiões polares (em uma perspectiva de direito internacional e de relações internacionais); os regimes jurídicos da Antártida e do Ártico; os impactos das regiões polares no cenário atual.

 

  • A Jornada de um artigo científico; Juliana Assunção Ivar do Sul e Fernanda Quaglio 

O que acontece com seu artigo científico antes deste ser finalmente aceito para publicação? Qual a jornada (que, muitas vezes, é longa...) deste artigo “dentro” das revistas científicas? O que está por trás dos sistemas de submissão online das melhores revistas voltadas às Ciências Ambientais? Neste minicurso você encontrará as respostas para estas e outras perguntas, que com certeza te ajudarão na publicação do seu próximo artigo!

 

  • Cartão de visita: como preparar meu Currículo Vitae para Concursos e Empresas;  Rodrigo Kerr, Alexandre Alencar e Rosemary Vieira

Memorial, Currículo Vitae, Currículo Lattes – tem diferença? Este mini-curso irá abordar sobre a melhor forma de apresentação e preparação destes documentos essenciais em processos admissionais, seja para a realização de concursos públicos ou na busca de emprego em empresas privadas. O objetivo é mostrar ao participante o que deve ser destacado em cada documento e a forma  mais apropriada para apresenta-lo.

 

  • Como obter o melhor de Conferencias e Networkings; Francyne Elias Piera e Pedro Echeveste, APECS-Spain

O objetivo deste mini curso é dar algumas dicas de como tirar maior proveito de um evento! Por exemplo, você sabe qual a melhor hora para fazer contatos, se aproximar daquele super pesquisador da sua área? Sabe como seu poster ou apresentação oral podem destacar suas qualidades? Desenvolva suas habilidades e aproveite o máximo no momento de adquirir novos conhecimentos, aprofundar-se em conhecimentos prévios,  fazer novos contatos ou fortalecer os já existentes.

 

  • O ser humano por trás do cientista – equilíbrio e satisfação pessoal; José Xavier e Renuka Bhade

Em muitos países, um professor universitário ou cientista é visto como um ser "superior", que sabe tudo  e que raramente sabe o nosso nome. Aqui pretende-se mostrar que eles, tal como TU, são pessoas normais, que também vibram com a sua equipa de futebol, que também têm uma família, e que gostam de coisas que TU também gostas. Manter uma relação de equilíbrio entre as pressões da carreira (publicar, ir às conferências, fazer palestras nas escolas,...) e da vida pessoal (ter tempo para os amigos e família, para fazer desporto, ir ao cinema...) é fundamental para uma carreira de sucesso. Vamos dar exemplos a seguir...

 

  • Trabalho em equipe: A importância da cooperação para a formação de um grupo de sucesso; Priscila Krebsbach e Maria Rosa D. Pedreira

Sabe-se que a Antártica é um local inóspito, longínquo e isolado. Nenhum indivíduo tem acesso ao continente gelado sozinho, mesmo quando pensamos em turistas e, principalmente, em pesquisadores; o ser neste continente só existe quando pensamos no coletivo. Dessa forma, para desenvolver a pesquisa de forma satisfatória, quais são as qualidades desejáveis para o pesquisador de modo geral? Qual a importância da ideia do “espírito de equipe”? O objetivo deste minicurso é esmiuçar esses detalhes e a relevância para o desenvolvimento científico de sucesso.

 

  • Tips and tricks: submitting projects for international institutions; Peter Convey and Lucia Campos

 

Mesa redonda – O Futuro da APECS-Brasil: formalização da Associação - ampliando o alcance da ciência e da difusão científica

José Xavier, Portugal
Renuka Bhade, SCAR
Peter Convey, BAS
Dra. Rosemary Vieira, Membro Ex-Officio
Dr. Alexandre Alencar, Membro Ex-Officio
Erli Schneider Costa, Vice-Presidente Internacional, Presidente Nacional
Rodrigo Kerr, Vice-Presidente e Membro do Conselho
Elaine Alves dos Santos, I Secretaria e Membro do Conselho
Arnaldo Russo, II Secretario e Membro do Conselho
Juliana A. Ivar do Sul , I Tesoureira e Membro do Conselho
Fernanda Quaglio, II Tesoureira e Membro do Conselho
Miriam Hebling Almeida, Coordenação E&O e Membro do Conselho
Roberta da Cruz Piuco, Membro do Conselho
Nubia Caramello, Membro Participativo
Moacir Silva, Membro Participativo
Jaqueline Brumelhaus, Membro Participativo
Juliana Silva e Souza, Membro Participativo
 

Público alvo:

Pesquisadores em início de carreira, alunos e professores de Ensino Fundamental e Médio, comunidade em geral, representantes de órgãos governamentais, organizações não governamentais, empresas privadas, estudantes de graduação e pós-graduação e demais interessados.
 

Local:

Universidade Federal do Rio de Janeiro.
Sala G-22 - Anfiteatro do Instituto de Biofísica Carlos Chagas Filho – IBCCF/UFRJ CEP: 214941-900 - Cidade Universitária, Ilha do Fundão - Rio de Janeiro, RJ/Brasil Tel/Fax: +55 21 2561 5339; 2562 5022.
Informações: apecsbrasil@gmail.com

 

APECS-Brasil

Desculpe o transtorno, site em atualização. Desenvolvido por APECS-Brasil.